• Casa Mães para Sempre

Apojadura em casos de luto

Atualizado: 4 de Out de 2019

Voltar para casa sem um bebê e com as mamas cheias de leite… Essa é a realidade das mulheres que perdem seus filhos a partir da 20ª semana de gestação ou após o nascimento, momentos nos quais já pode ocorrer a produção do leite materno.

O processo de “descida do leite” , ou apojadura, acontece independente do estímulo da sucção do mamilo e é importante que as mulheres recebam orientação sobre esse processo.

A maioria dos profissionais orienta e prescreve medicamentos que inibem a lactação, pois a preocupação nesses casos é prevenir o ingurgitamento mamário, ou seja, as mamas ficarem tensas e cheias de leite e o desencadeamento de inflamações (mastite). Como essas mamas não serão esvaziadas pela sucção, o ingurgitamento e desconforto aumentam progressivamente.

É possível que grande parte das mulheres escolham não passar pela apojadura, o que é possível por meio da inibição farmacológica, discutindo riscos e benefícios da medicação. Entretanto, caso seja da vontade da mulher, é possível manter a produção de leite, que pode ser doado para Bancos de Leite Humano, contribuindo para a nutrição de bebês internados.

É importante que a escolha sobre manter ou não a produção de leite seja acompanhada por profissionais que informem a mulheres sobre riscos e benefícios, elaboração do luto, acolhimento de necessidades individuais e apoio técnico-profissional. Sinais de mastite e qualquer outro desconforto ou infecção devem ser rapidamente identificados e tratados!

Você não está sozinha(o)!

A Casa Mães para Sempre é um centro de apoio aos pais e mães enlutados.

Entre em contato:

(11) 99965-2817

  • Wix Facebook page
  • Instagram