• Casa Mães para Sempre

Protocolos de Lutos


A cena se com frequência em muitas maternidades do país: mulheres que vivenciaram a morte de seu filho/a são colocadas lado a lado com mães que seguram, ninam e amamentam seus bebês. Mães que não tiveram o direito de sepultar seu filho, que não viram o nome escolhido na certidão de óbito, que não se despediram dignamente de seu bebê... Enquanto damos ampla atenção aos cuidados médicos, pouco ou nenhuma preocupação é destinada aos cuidados psicológicos dessas mães. Mas o que poderia ser feito?


Assim como o estabelecimento de protocolos e a realização de treinamentos em casos de incêndio ou surtos infecciosos estão previstos nas instituições de saúde, também é necessário se preparar para trabalhar com situações de morte. Os protocolos de lutos guiam o comportamento dos profissionais diante de uma família que vivencia o luto. Com isso, atenua situações desconfortáveis para a mãe e familiares, humanizando os casos em que os bebês não conseguem sobreviver.


Em outros países os protocolos são consolidados e evitam situações constrangedoras e desumanas. As ações implementadas são simples e demandam gastos mínimos para a instituição, como colocar um adesivo preto na porta do quarto da mãe enlutada ou roxo no caso do bebê estar na UTI, proporcionar um momento de despedida com privacidade, confeccionar Caixas de Memórias e permitir que a família vista o bebê com a roupa escolhida.

Um exemplo brasileiro é a PL 9653\2018 proposta pela @ong.amadahelena, que “estabelece a obrigatoriedade de separação de ambiente, bem como a diferença de cor da pulseira evitando que os envolvidos em seus cuidados médicos possam questionar um possível erro de local de internação.” Se você trabalha em um instituição de saúde, leve essa ideia para frente e ajude a humanizar o luto!


Você não está sozinha(o)!

A Casa Mães para Sempre é um centro de apoio aos pais e mães enlutados.

Entre em contato:

(11) 99965-2817

  • Wix Facebook page
  • Instagram