• Casa Mães para Sempre

Via de Nascimento em casos de luto


Em grande parte dos casos de perdas intraútero, é possível aguardar o início de trabalho de parto, independente da idade gestacional.

Chamamos de “conduta expectante” a manutenção da gestação até que o trabalho de parto inicie espontaneamente. Esse processo pode levar dias ou até mesmo semanas, a depender do tempo de gestação em que ocorreu o óbito. A mulher pode optar por ter o acompanhamento de uma doula ou uma parteira, que a auxiliarão emocional e fisicamente no processo.

Por outro lado, o manejo ativo pode incluir procedimentos imediatos, como a indução do trabalho de parto com medicamentos, a realização da curetagem/aspiração ou da cesariana.

Em casos de indução, a utilização de prostaglandinas ou ocitocina é uma opção e, se houver dilatação, pode-se optar por romper a bolsa das águas.

Se a mulher escolher a cesariana, é importante que os riscos associados à cirurgia sejam informados pois, de fato, sua realização eletiva agrega riscos imediatos à vida da mulher e pode comprometer sua saúde sexual e reprodutiva.

A cesariana está associada a maior risco de infecções e hemorragias e aumenta em três vezes o risco de morte materna. Ademais, o pós-operatório é mais doloroso e requer maior tempo de recuperação, repouso e internação, o que pode dificultar que a mulher participe de uma eventual cerimônia para o seu bebê.

Mas independente da via de nascimento, a experiência é única e marcante.

Cada mulher e família devem ser ajudadas a colocar na balança os prós e contras com o objetivo de preservar ao máximo a integridade física e emocional da gestante.

Você não está sozinha(o)!

A Casa Mães para Sempre é um centro de apoio aos pais e mães enlutados.

Entre em contato:

(11) 99965-2817

  • Wix Facebook page
  • Instagram